sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

BREVES (39)

PARABÉNS, CASEMATE! 


A prestigiosa revista mensal francófona, Casemate, está de parabéns, pois atingiu neste mês de Fevereiro o seu n.º 100.
Deste exemplar, salientamos o artigo dedicado ao primeiro álbum de Tintin que, finalmente, foi agora editado a cores.
E, sobre este assunto, também uma interessante e esclarecedora entrevista com o escritor e diplomata russo, Vladimir Fédorovsky, que - a propósito deste álbum que levantou então muitos protestos e insultos a Hergé - aqui o vem defender com lógica e pertinência.



HANURAM, O DOURADO
A Ericeira BD continua, corajosamente, a pugnar pela 9.ª Arte, e inaugura amanhã, sábado, pelas 17:00 horas, uma exposição de originais de Ricardo Venâncio, (uma antevisão do seu álbum "Hanuram, o Dourado"), numa parceria com a ComicHeart.
A exposição estará patente até 12 de Março.


EXPOSIÇÃO DE CROMOS AINDA PODE SER VISITADA
Até 29 de Abril pode ainda visitar a exposição "Cadernetas de Cromos: 100 Anos do Cromo Colecionável em Portugal", na Biblioteca Nacional, em Lisboa.
A mostra é uma organização do Clube Português e Banda Desenhada, sendo comissariada por João Manuel Mimoso, o grande coleccionador e estudioso deste tema no nosso país.
Na exposição podemos ver cadernetas ilustradas por grandes nomes da BD portuguesa como Carlos Alberto Santos, Vítor Péon, Pedro Massano, José Garcês, José Baptista (Jobat), entre outros.
Estivemos lá, no dia da inauguração, e podemos assegurar que vale bem a pena uma visita.


...E TAMBÉM PODE VISITAR AINDA...


Se está, ou vai estar, por terras de Viriato até ao próximo dia 22 de Abril, pode ainda visitar a exposição "Luiz Beira: A paixão pelas Artes - O legado a Viseu", patente na Biblioteca Dom Miguel da Silva.
Trata-se de uma co-produção entre a Câmara Municipal de Viseu e o Gicav.
Aproveite, também, para visitar a Bedeteca Luiz Beira onde alguns milhares de documentos (álbuns, revistas, livros, DVD's...) aguardam por si.
A entrada é livre.


ANIVERSÁRIOS EM MARÇO
Dia 04: Baptista Mendes e Lorenzo Zaniratto (italiano)
Dia 05: Victor Borges
Dia 07: Miguel Rocha e Florence Magnin (francesa)
Dia 09: Alain Corbel (francês)
Dia 10: Jorge Miguel
Dia 13: João Paulo Cotrim
Dia 15: Francisco Ibañez (espanhol)
Dia 16: Carlos Gimenez (espanhol) e Agonia Sampaio
Dia 17 : Yves H. (belga)
Dia 22: Jorge Magalhães e Nuno Nisa
Dia 23: Miguel Ramos
Dia 26: Ângela Gouveia
Dia 31: Kas (polaco)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

TALENTOS DA NOSSA EUROPA (17): DIDIER CONVARD (França)

Didier Convard
Ele nasceu em Paris a 16 de Janeiro de 1950. Didier Convard é um dos grandes vultos da actual BD europeia, não só como desenhista, mas também com argumentista dele próprio e de outros desenhistas de peso, tendo colaborado com André Juillard, Pierre Brochard, Liliane e Fred Funcken, Gine (aliás, Christian Martinez), Siro, Alexis Chabert, etc.
Mas a sua intensa carreira artística não se fica por aqui: foi actor, professor de publicidade e colorista. Tem um grande espírito de humor, mas pela 9.ª Arte, ele gere também aspectos bem fortes e realistas, onde não faltam abordagens, quiçá controversas, pelo esoterismo, o fantástico e o insólito.
Esteve em Portugal, como homenageado estrangeiro, no Salão “Sobreda-BD /1997”, onde recebeu o Troféu Sobredão.
Das obras com o seu traço, distinguem-se “François Vildrac”, “Brunelle et Colin” (7 tomos, onde substituiu François Bourgeon, a partir do terceiro)...
“Les Missions d’Isabelle Fantouri (4 tomos)...
 
“Huit Jours du Diable”...
...e “Neuvième Jour du Diable (recolha de histórias curtas que foram editadas na revista “Tintin”), “Cranach de Morganloup” (2 tomos)...
“Editnalta” (2 tomos e um integral)...
...e, de entre demais títulos, os que consideramos como as suas séries de honra: “Les Héritiers du Soleil” (13 tomos, onde desenhou os quatro primeiros, passando depois o grafismo para Frédéric Bihet, continuando Convard
como argumentista)...
...e “Chats” (5 tomos e um Integral; desenhou os quatro primeiros e o último  teve o grafismo de Paul).
Salienta-se que “Chats “(Gatos), no plano do fantástico, tem um enredo maravilhoso e inquietante que, na altura, galvanizou uma infinidade de bedéfilos.
Como argumentista, Didier Convard assina as séries: “Tanâtos”, “Finkel”, “Vinci”, “Polka”, “Mathieu Lamy”, “Le Triangle Secret”, “Marco Polo” e, em ponto de honra, “Neige” (sob a arte gráfica de Gine), com mais de uma dezena de tomos, incluindo integrais.
Há bons tempos atrás, constou-se que “Neige” ia passar ao Cinema, mas nunca mais se ouviu falar deste projecto... Acontece!
Entretanto, é bom que o pessoal vá lendo Convard... em francês (claro!).
LB

sábado, 18 de fevereiro de 2017

NOVIDADES EDITORIAIS (113)

LE PASSEUR - Edição Dupuis / Aire Libre. Autores: argumento de Yves H. e arte de Hermann.
A parceria de pai Hermann e filho Yves está imparável e cada vez mais avassaladora. Uma dupla exemplar!
Agora, com “Le Passeur” (O Passador), a obra é terrivelmente alucinante, cruel, fantástica... na loucura bela e estonteante de uma tragédia. Tudo já será no pós-Apocalipse... Restará alguma coisa de positivo e de esperança para a vivência dos humanos? E que bizarro, aquele farol sem mar à vista e cercado de areias, de um violento deserto de areias, por todo o lado!...
Sam Samantha, fatalmente, vivem um sinistro caminho, um verdadeiro e inimaginável pesadelo. Uma narrativa incrível e, de certo modo, pavorosa.
Todavia, apesar destas vias pesadas e sombrias, esta obra é intensa e irresistivelmente sedutora.


O HERÓI DA CAPA PRETA - Edição Gailivro, do Grupo Leya. Autor: Pedro Leitão.
Este autor (argumentista e desenhista) tem-se apostado pela nossa Banda Desenhada infantil, o que é um tanto raro entre nós.
Especificamente, “O Herói da Capa Preta”, na sua exuberante fantasia, é o décimo tomo da série “As Aventuras de Zé Leitão e Maria Cavalinho”.
Os nossos petizes, aqueles que não são precocemente agarrados à Internet buscando o que não devem ver, têm aqui mais uma saudável obra de divertida leitura.


DÉDALE - Edição Casterman. Autores: Thierry Gloris (argumento), Sergio Bleda (traço) e Jesús Yugo (cores).
“Dédale”, é o segundo e último tomo da série “NSA”, que se foca num personagem com bizarros e especiais poderes...
Neste insólito e nas políticas de um tal presidente, Sr.Trump, tudo pode acontecer, sempre com a violência impune e quotidiana que jamais faz um saudável intervalo.
Enfim!...
LB

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

HERÓIS INESQUECÍVEIS (45) - BOB E BOBETTE

O artista belga (flamengo) Willy Vandersteen (aliás, Willebrod Vandersteen) é mestre criador de uma larga obra de Banda Desenhada: “Bob et Bobette”, “Bessy”, “Safari”, “Thyl Ulllenspiegel”, “Prince Riri”, “Le Chevalier Rouge”, “Robert et Bertrand”, etc.
De toda as séries que criou, o fenómeno reside em “Bob e Bobette”, série desde logo tão popular que ainda não terminou e que já conta com mais de 300 álbuns e mais 39 na versão integral.
Willy Vandersteen (1913-1990)
Vandersteen nasceu em 1913 e faleceu em 1990.
Exactamente em 2013, quando do primeiro centenário do seu nascimento, Moura e Viseu, organizaram uma exposição alusiva com um panorama geral da sua obra.
“Bob et Bobette” surgiram a 30 de Março de 1945 no jornal flamengo “De Nieuwe Standaart”, com os nomes de “Suske en Wiske”, e só em 1948 aparecem em francês na revista “Tintin”. O êxito da série foi tamanho, que Vandersteen acabou por criar um estúdio e uma equipa de assistentes-colaboradores. A revista “Tintin”, em paralelo, tinha a edição flamenga, “Kuifje”.
Claro que com a extensão da quantidade, nem todas as narrativas são merecedoras de aplausos, mas salientam-se fenomenais “loucuras”, como: “Le Fantôme Espagnol” (publicada em Portugal na revista “Diabrete”, do n.º 730 ao n.º 866, com o título de “O Mistério do Quadro Flamengo”), “La Trompette Magique” (publicada no nosso País como “A Corneta Mágica”, em “Mundo de Aventuras”), “Le Cheval d’Or” (publicada em Portugal no suplemento “Nau Catrineta” do matutino “Diário de Notícias”, como “Pepita, a Égua Dourada”), “Les Martiens Sont Là!” (também publicada na “Nau Catrineta”, com o título de “O Mistério dos Discos Voadores”), “La Casque Tartare”, “La Clef de Bronze”, “Le Tombeau Hindoue”, “Le Poignard d’Or”, etc, etc.
"A Corneta Mágica", numa capa do "Mundo de Aventuras"
Capa e prancha de "Le Fantôme Espagnol"
Capa e prancha de "Le Cheval d'Or"
Capa e prancha de "Les Martiens Sont Lá"

A primeira aventura chama-se “Ricky et Bobette”, sendo Ricky o irmão mais velho de Bobette, vivendo ambos com a tia Sidonie.
Capa de "Ricky et Bobette",
a primeira aventura da série
No segundo episódio já surge Bob, que tomará lugar principal ao lado da jovem, enquanto Ricky desaparece da série. Depois, mais três personagens vêm engrossar a "família" desta série: o Sr.Lambique (destemido e trapalhão), o atlético Jérôme e o sábio Prof. Barabas.
Em Portugal, só se publicaram dois álbuns pelas Edições Bonecos Rebeldes: “O Paraíso dos Cães” (Le Paradis des Chiens) e “A Dama de Ouros” (La Dame de Carreau), que, infelizmente, não são episódios muito valorosos da série.
Capas de "O Paraíso dos Cães" e "A Dama de Ouros", Edição Bonecos Rebeldes

Entretanto, outros nomes foram prosseguindo a série, como os desenhistas Paul Geerts, Luc Morjaeu e Marc Verhaegen.
A série “Bob e Bobette” não ficou esquecida pelo Cinema/Televisão: uma série com fantoches (1955) e outra em Cinema de Animação (1975/1976) e ainda, também em Animação, em 2009, o filme “Les Diables du Texas”. 
"Bob et Bobette: Les Diables du Texas" - filme completo

Mas antes, em 2004, foi feito um filme com actores, “Le Diamant Sombre”, com realização de Rudi Van Den Bossch e como protagonistas Joeri Busschots (Bob), Céline Verbeeck (Bobette), Dirk Roofthooft (Lambique), Peter Van Den Begin (Sidonie), Stany Crets (Jérôme) e Tuur De Weert (Barabas).
"Bob et Bobette: Le diamant sombre" - filme completo

Na Bélgica, há estátuas alusivas em Antuérpia, Middelkerke e Kalmthout. Aqui, precisamente, existe o Museu de Bob e Bobette, que é altamente visitado.
LB

Capa e prancha de "Le Diamant Sombre"
Capa e prancha de "Le Monstre de Cuir"
Inauguração da exposição comemorativa do Centenário de Willy Vandersteen, durante o salão Moura BD 2013.
A exposição foi uma produção conjunta entre a Câmara Municipal de Moura e o Gicav (Viseu)
Estátua de Willy Vandersteen com os seus personagens mais famosos, Bob e Bobette.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

FOI BONITA A FESTA, PÁ!

No passado dia 27 de Janeiro, rumámos até à histórica cidade de Viseu para assistir à merecida homenagem que a Câmara Municipal de Viseu e o Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu (Gicav) se propuseram prestar a Luiz Beira, meu prezado amigo há mais de 25 anos e colega de blogue há quase cinco.
Na manhã de 28, sábado, houve oportunidade para visitar o magnífico centro histórico da cidade após o que seguimos para almoço com Luís Filipe Mendes (do Gicav), outro amigo de longa data, e Luiz Beira.
Luis Filipe Mendes, Luiz Beira e Carlos Rico
A sessão teve início às 16:00 horas, na Biblioteca Municipal Dom Miguel da Silva, conforme estava previsto no programa. Aliás, toda a sessão decorreu a um ritmo assinalável, de forma contínua, sem pausas desnecessárias, o que se regista muito positivamente.
Começou com a actuação do viseense Grupo de Teatro Off, que interpretou um pequeno sketch humorístico e que, no final deste, convidou o próprio homenageado a juntar-se-lhe para... cantar as Janeiras.
Uma fase da actuação do Grupo de Teatro Off. À esquerda, Arlindo Fagundes,
Carlos Almeida e Geraldes Lino divertem-se com a cena (foto: CM Viseu/José Alfredo)
Luiz Beira, entre os actores do Grupo de Teatro Off, tentando cantar as janeiras... (foto: CM Viseu/José Alfredo)
Seguiram-se os indispensáveis discursos nestas ocasiões. A Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Viseu, Dr.ª Odete Paiva, e a Presidente da Direcção do Gicav, Dr.ª Filipa Mendes, elogiaram o homenageado e a sua obra e deram natural destaque ao gesto altruísta de Luiz Beira que doou a Viseu uma grande parte do seu acervo pessoal de banda desenhada, originando, dessa forma, o nascimento da Bedeteca Luiz Beira, já lá vão quinze anos.
Vista parcial da sessão de homenagem, com a Vereadora da CM Viseu, Dr.ª Odete Paiva, a discursar. Em primeiro plano, uma enorme vitrina que albergava álbuns que Luiz Beira doou à Bedeteca, autografados por nomes grandes da BD portuguesa e franco-belga
A Presidente do Gicav, Dr.ª Filipa Mendes, tomando a palavra. Ao fundo, a Bedeteca Luiz Beira. 
A propósito da Bedeteca Luiz Beira, abrimos aqui um pequeno parêntesis para informar que, além dos álbuns de banda desenhada (que neste momento são cerca de 6000, mais precisamente 5968), Luiz Beira doou ainda:
Livros vários de teatro e cinema: cerca de 700
- DVD's: 133
- VHS's: 30
- Revistas de BD em colecção: 5 (que perfazem 645 fascículos)
- Publicações periódicas várias (números dispersos): 1875 fascículos
Total de documentos doados: 9351 (!)
Convenhamos que é obra!...
Uma das salas da Bedeteca Luiz Beira
Geraldes Lino na Bedeteca Luiz Beira
Fechado o parêntesis, retomamos a reportagem para dizer que se seguiu, naturalmente, o momento em que Luiz Beira tomou a palavra. Este começou por chamar para junto de si alguns amigos de longa data, do mundo da BD, que estavam presentes.
Da esquerda para a direita: Rafael Sales, Carlos Rico, Dr.ª Filipa Mendes, Arlindo Fagundes, Dr.ª Odete Paiva, Geraldes Lino, Luiz Beira, Artur Correia e Carlos Baptista Mendes
Após o breve discurso, a Dr.ª Odete Paiva ofereceu a Luiz Beira, em nome da Câmara Municipal de Viseu, uma placa comemorativa. Este agradeceu o gesto da autarquia viseense e do Gicav, à maneira moçambicana: Kanimambo!
Momento em que a Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Viseu
oferece a Luiz Beira a placa comemorativa
Seguiu-se uma visita guiada à exposição, que ficou distribuída por dois andares: no primeiro, uma enorme vitrina com álbuns autografados, um painel biográfico e uma galeria de caricaturas e retratos originais que saíram directamente das paredes de casa de Luiz Beira para o átrio da Biblioteca Dom Miguel da Silva.
À entrada, a exposição de caricaturas e retratos originais de Luiz Beira

Algumas das caricaturas e retratos originais que poderão ser vistos nesta exposição.

Vitrina onde se podem observar álbuns de banda desenhada
autografados por nomes bem conhecidos da BD portuguesa
O casal Maria Belmira e Artur Correia, bem como Baptista Mendes, observando atentamente
algumas das preciosidades expostas na vitrina
Depois, subindo as escadas até ao andar seguinte, aguardavam-nos dezena e meia de painéis, uns com fotos do percurso de vida de Luiz Beira...
...outros com dedicatórias e autógrafos de alguns dos principais desenhadores da BD portuguesa e mundial (Hermann, Horacio Altuna, Dany, Craenhals, Morris, Convard, Jacques Martin, Tito, etc)...
...e, por fim, depoimentos de gente da BD, que não quis deixar de se associar a esta homenagem.
Luiz Beira, atento ao pormenor de um dos painéis fotobiográficos (foto: CM Viseu/José Alfredo)
A exposição de Luiz Beira foi vista com bastante interesse pelo público
A visita guiada decorreu bem, embora o numeroso público que participou acabasse por não nos deixar espaço para tirar algumas fotografias em plano aberto. Por isso regressámos, posteriormente, ao local e fotografámos a série de painéis, de forma a que os nossos leitores pudessem perceber melhor como estavam distribuídos...

De salientar que, durante a sessão, Rafael Sales, Dani e Miguel Rebelo, três caricaturistas/cartunistas locais, animaram o espaço desenhando ao vivo caricaturas de Luiz Beira que depois lhe foram oferecidas.
 Luiz Beira observando atentamente o trabalho dos cartunistas Rafael Sales e Dani (foto: CM Viseu/José Alfredo)
Miguel Rebelo, cartunista da revista "Anim' Arte", desenhando o homenageado
Já depois da fase de "maior sufoco", quando o público começou a dispersar, Luiz Beira pode fazer uma visita mais demorada e atenta pela exposição que lhe era dedicada... 
Luiz Beira observando o primeiro painel da exposição, com texto biográfico (foto: CM Viseu/José Alfredo)
...e teve, enfim, tempo para umas fotos com a competente e abnegada equipa da Biblioteca/Bedeteca Municipal de Viseu.
Luiz Beira e a Dr.ª Teresa Almeida, responsável pela Bedeteca

Luiz Beira ladeado por Luís Teixeira e João Clemente, dois funcionários da Biblioteca
O casal Artur e Maria Belmira Correia e Carlos Baptista Mendes, num breve momento de descanso para retemperar forças
Ainda na Biblioteca, houve espaço para um pequeno beberete, onde foi servido um excelente "Dão de Honra" aos convidados. Foi o prelúdio certo para o jantar que se seguiu, no Restaurante "Os Templários", onde o convívio entre gentes de Lisboa, Braga, Aveiro, Tomar, Moura, Seixal e Viseu se prolongou noite dentro. 
Luiz Beira, durante o jantar, à cabeceira da mesa, ladeado por Carlos Carvalheiro, Carlos Alberto Almeida, Geraldes Lino, Arlindo Fagundes e Ju, a esposa deste.
Carlos Carvalheiro (do Grupo de Teatro "Fatias de Cá") e Carlos Almeida (do Gicav)
Geraldes Lino e Arlindo Fagundes
Carlos Baptista Mendes, um senhor da BD portuguesa
Luís Filipe Mendes (de camisola cinzenta) foi um dos grandes obreiros desta homenagem, apesar de se ter mantido discreto durante praticamente toda a sessão. Vê-mo-lo aqui, durante o jantar, na companhia da filha, Joana, da esposa, Natália, e do colega José Carlos Costa (da Junta de Freguesia de Ranhados).
Depois do jantar, houve quem optasse por assistir, ali bem perto, ao espectáculo "Cantar as Janeiras" (desta vez já sem o Luiz Beira a fazer estragos...); outros preferiram "abanar o capacete" com a excelente banda viseense "Hi-Fi" que comemorava os seus dez anos de existência com um concerto livre; e outros - como foi o nosso caso - optaram por regressar ao Hotel e descansar de um dia extenuante (com muitas horas de viagem pelo meio) mas, também, muito gratificante.

Em resumo, estão de parabéns:
- O Gicav (com destaque para Luís Filipe Mendes e Carlos Alberto Almeida, os dois grandes obreiros desta bela iniciativa).
- A Câmara Municipal de Viseu, pelo forte contributo que, ao longo de tantos anos, tem dado e continua a dar à banda desenhada, caso muito raro no panorama autárquico nacional, como é sabido.
- A Biblioteca Dom Miguel da Silva / Bedeteca Luiz Beira (com uma palavra de apreço para a Dr.ª Teresa Almeida e a sua equipa, incansáveis na articulação com o Gicav na preparação desta homenagem).
- E, last but not least, Luiz Beira, meu amigo de longa data e colega de blogue, que mereceu, sem dúvida, esta bonita homenagem pelo muito que tem feito - e vai continuar a fazer - pelas Artes em geral, pela banda desenhada e por Viseu, em particular.

Mais uma vez - nunca é demais referir -, tudo foi preparado com extremo cuidado e decorreu muito bem. E, para cúmulo, nem faltou um pormenor delicioso no elevador do Hotel onde nos hospedámos... 
Como diria o grande Chico Buarque: "Foi bonita a festa, pá!".
CR
Pormenor do elevador do Hotel. Nem de propósito...
Nota 1: A exposição pode continuar a ser visitada até ao próximo dia 22 de Abril.
Nota 2: Agradecemos a cedência de algumas das fotos que ilustram este post à Câmara Municipal de Viseu/José Alfredo.