sexta-feira, 31 de agosto de 2012

NOVIDADES EDITORIAIS (10)


LES DIAMANTS FONDENT AU SOLEIL - Finalmente, mais um tomo, o sétimo, da série policial "Agence Hardy", sob edição Dargaud. Um interessante argumento de Pierre Christin servido pelo elegante e tão cativante traço de Annie Goetzinger.
Em França,ante o crescimento da ameaça nazi, a família judaica Lévy-Sanders converte os seus objectos de arte em pedras preciosas, mais fáceis de vender. Em 1944,toda esta família foi aniquilada após deportação. A mansão fica ao abandono, ninguém sabendo dos valores que aí constam. Quinze anos mais tarde, um certo rubi é vendido num grande joalheiro parisiense, que logo procura a detective Edith Hardy para desvendar este mistério...



LE SUPPLICE DE LA VIERGE - Sexto tomo da série "Zodiaque", este tomo mantém as constâncias da série: o guião é de Corbeyran e a capa de Thomas Ehrestman. O grafismo da obra é de Nicolas Lannoy, com edição Delcourt.
Modesta funcionária de um escritório moscovita, Selena Talkian, é uma mulher discreta e sem história. Mas uma vez transposta a porta do seu gabinete, ela torna-se Elena Satanik, a misteriosa autora de êxitos literários eróticos e provocantes. Escaldante e fascinante, ela atiça as paixões mais extremas... com o risco de se tornar na presa dos que vêem nela um perigo a eliminar a qualquer preço.



BOUNCER 6 / 7 - Pelas edições Asa, o álbum duplo da série "Bouncer", onde constam: "A Viúva Negra" (tomo 6) e "Coração Dividido" (tomo 7).
No ambiente "western", a força e a ousadia do argumentista Alejandro Jodorowsky e a já clássica arte de François Boucq.
Uma obra a não perder!



O FINAL DE "SHERMAN" - Com "Les Ruines.Berlin" (tomo 5) e "Le Pardon.Jeannie" (tomo 6), chegou ao fim a magnífica série "Sherman", publicada pela Lombard.
Jay Sherman, uma autêntica personificação do sonho (económico, familiar, social, político...), é a figura central desta série, muito bem urdida por Stephen Desberg e aplicada à Banda Desenhada pelo firme e soberbo grafismo de Griffo.


A ARMADILHA MAQUIAVÉLICA - Tem edição Asa, mas a obra é medíocre. Os autores, Pierre Veyes (guião) e Nicolas Barral (traço), propuseram-se a uma divertida paródia à série "Blake e Mortimer", mas... resultou numa obra frouxa, insonsa, sem qualquer piada. Paciência!...

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

2012: E LÁ SE FORAM MAIS DOIS...

Os supersticiosos dizem que os anos bissextos (é o caso de 2012) são muito aziagos... Ou será mera coincidência? 
O certo é que no ano a decorrer, já nos "deixaram" cinco grandes valores da BD e da Ilustração: depois de Jean Giraud (ou Moebius), de Millôr Fernandes e de Eddy Paape, o mês de Agosto arrebatou-nos Joe Kubert e Sergio Toppi...

JOE  KUBERT - Nasceu na Polónia a 18 de Setembro de 1926. Estava naturalizado norte-americano, pois há muitos anos que havia emigrado para os Estados Unidos, onde agora faleceu a 12 de Agosto.
Em 1976, fundou a The Joe Kubert School of Cartooning and Graphics.
Seus filhos, Andy e Adam, também seguem a carreira que aprenderam com o progenitor.
Embora grande desenhista, não terá sido muito "original" e genuíno, pois elaborou narrativas de outros heróis que já existiam, como Tarzan, Hawkman, Tex, Flash, Superman, etc.
De criação incial sua, salientam-se as séries: Tor (uma versão, à sua maneira, dos heróis europeus Tounga Rhan), Sargento Rock, O Filho de Sinbad, "Viking Prince" (uma inspiração noutro herói: Thor?), Tales of the Green Beret, etc.



Arte de Joe Kubert


SERGIO TOPPI - Famosíssimo ilustrador e desenhista italiano, nasceu em Milão a 11 de Outubro de 1932, tendo falecido a 21 de Agosto.
A sua bela e vasta obra centra-se mais em criações de álbum único do que em séries.
 Mago Zurli é um dos seus raros personagens-série. 
Firme e encantador, na sua bibliografia contam-se, para além de alguns episódios em "História de França em Banda Desenhada" e "A Descoberta do Mundo", "A Lenda de Potosi", "Myetzko", "Marilyn Monroe", "Tanka", "O Tesoiro de Cibola", "Um Deus Menor", "Warramunga", etc.



Arte de Sergio Toppi 

terça-feira, 28 de agosto de 2012

PELA BD DOS OUTROS (3) - A BD DE AETEAROA

Que raio de país é este?!... Pois optamos pelo nome original do seu povo natural, os maoris, muito embora os ingleses tenham imposto (quase) ao mundo o nome de Nova Zelândia. De qualquer modo, ambas as designações, Aetearoa e Nova Zelândia, são oficialmente válidas.
Este território insular da Oceania terá sido pela primeira vez visitado pelos europeus em 1642, pelo holandês Abel J. Tasman. Só a partir de 1768 é que lá chegou o inglês James Cook e... e lá se foi a independência maori.
As línguas oficiais são precisamente o inglês e o maori e, bizarramente, esta monarquia tem como chefe de estado o de um outro país: a rainha Elizabeth II de Inglaterra!
Arte de Damon Keen

Nação de um grato bem estar social, é, também, rica na Cultura e no Desporto.
Pela Banda Desenhada, os primeiros e mais notáveis criadores nasceram ainda nos anos oitocentos: Harry Rountree, Noel Cook e Ted Brodie-Mack.
Mas é pelo passado século XX que nasce uma grande dose de desenhistas neozelandeses ou aetearoanos: Unk White, Neville Colvin, Murray Ball, Clayton Noone, Adrian Raeside, Martin Edmond, Dylan Horrocks, Roger Langridge, Jared Lane, Karl Wills, Damon Keen, Stefan Neville e, de entre outros, o mais famoso e internacional de todos, Colin Wilson.
Este, nasceu em Chrischurch a 31 de Outubro de 1949. Tem obra vastíssima, viveu alguns anos em Londres e actualmente reside na Austrália. Criações suas foram e têm sido publicadas na Nova Zelândia, Inglaterra, Estados Unidos, Austrália, França, Portugal, etc.
Alguns álbuns de séries como, "Blueberry", "Star Wars", "Major Alvega" e "Tex" fazem parte da sua invejável bibliografia.





sábado, 25 de agosto de 2012

APRESENTANDO... GUY MICHEL


A República do Haiti, independente da França desde 1804, situa-se na parte ocidental da ilha Hispaníola (descoberta por Cristóvão Colombo, em 1492), nas Caraíbas. Tem por capital Port-au-Prince e como moeda o gourde. Línguas oficiais: o francês e o creoulo. Teve o seu esplendor sócio-económico no século XVIII. Hoje, é o país mais triste e pobre das Américas. Tudo isto devido a constantes e violentas crises políticas, culminadas com o devastador terramoto de 2010.
Curiosamente, a Banda Desenhada não é um vazio total nesta nação caribenha, onde se destacam dois grandes valores.
O primeiro, foi André Le Blanc (1921-1998), que também viveu e elaborou nos Estados Unidos e no Brasil.
Depois, surge Guy Michel, nascido a 9 de Dezembro de 1974, que, em 1986, foi residir para França, onde se inscreveu nas Belas-Artes.
Iniciou-se pela BD no fanzine "Avenir". Foi a auspiciosa estreia que deu início a uma carreira marcante e merecidamente elogiada pela crítica e pelo público.
Frequentemente, assina apenas Michel.

Tem sido editado pela Soleil com mais assiduidade: "Aquilon", "Contes de Brocéliande", "Petit d'Homme", "Le Sang du Dragon" e ainda " Boris", onde foi apenas o argumentista.

Pela Nucléa, publicou "Arthur Pendragon" e pela Glénat, "Seznec".

Prancha de "Surcouf"

Neste 2012, a “12 Bis”, começou a editar-lhe uma nova e bela série, "Surcouf", que desde logo mereceu calorosos elogios.
Pelo seu já incontestável valor, a arte de Guy Michel importa ser conhecida pelo bedéfilo português a breve tempo. 
Assim esperamos...

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

NOVIDADES EDITORIAIS (9)


LES SURVIVANTS DE NANKIN - O agente fiscal Larry B. Max está metido numa situação pouco agradável: um formidável tesoiro (o oiro de Yamashita) "desapareceu" pela Segunda Grande Guerra... Inimigos, os Mayuzumi e os Ianfu, sem olhar a meios, querem recuperar tal fortuna e Larry está metido à força nesta embrulhada, com ameaças à sua vida e à sua liberdade.
Com edição Lombard, "Les Survivants de Nankin" é o 14.º tomo da série "I.R.$.", com argumento de Stephen Desberg e arte de Bernard Vrancken.

LA FILLE DE L'AIR - Com edição Delcourt, é o primeiro tomo da série " Lady Spitfire", com guião de Sébastien Latour e traço de Maza (aliás, Milorad Vicanovic). Laura Chevalier, filha de um às da aviação da Primeira Grande Guerra, herdou de seu pai a paixão pela aviação. Cedo começou a pilotar, mas tem de se refugiar em Inglaterra. Será que aqui poderia ser um piloto de combate, já que é uma mulher?... Em segredo,com a cumplicidade de um piloto excêntrico, ela vai tornar-se na primeira francesa piloto de caça da Royal Air Force.

RETOMBÉES - Com guião de Hervé Loiselet e Laurent Queyssy e grafismo de Pasquale Del Vecchio, "Retombées" é o segundo tomo da série "Blackline", sob edição Lombard.
Uma aventura escaldante, maioritariamente passada na selva tailandesa, com mercenários contratados para salvaguardar políticas ecologistas da avidez criminosa de certa gente poderosa.

LA PART DU LION - Com edição Delcourt, "La Part du Lion" é o 5.º tomo da já notável série "Zodiaque". Tem argumento de Corbeyran e arte gráfica de Hugo Palasie.
Tilda Leoni reside em Chicago e é uma mulher muito rica e poderosa, praticamente sem preocupantes concorrentes. Mas Tilda tem um outro e estranho poder: o de dialogar com os mortos. Contudo, o preço a pagar por tais relações pode tornar-se exorbitante...

L'AMOUR D'UNE FÉE - Segundo tomo da série "Carabosse", tem edição Lombard, guião de Nicolas Pona e grafismo de Jean-Marie Minguez.
A situação é repetitiva: a fada Carabosse morre e renasce sempre. É amada doentiamente pelos homens, mas em troca só lhes dá a destruição. Porém, ao fim de séculos, Carabosse está cansada. Quer voltar à "Fonte", sossegar e amar em paz.

domingo, 19 de agosto de 2012

PELA BD DOS OUTROS (2) - A BD DE MARROCOS


Um reino aqui tão próximo, mas quase nada se sabe da sua 9ª Arte!...
Com a capital em Rabat, tem como cidade famosa Casablanca, graças ao clássico filme homónimo. 
País pleno de alta força cultural, esteve dominado no passado por portugueses, espanhóis e franceses. 
Têm notabilidade na sua Cultura, a Arquitectura, o Teatro, a Música, o Cinema, as Artes Plásticas e romancistas como Moahamed Choukri, Leila Abouzeid, Abdelkarim Ghellab ou poetas como Farid Zalhoud, Abdelatif Laâbi e Abdallah Zrika.
Contudo, a BD marroquina tem uma grande força e expansão. E daí se faz notar que o Instituto de Belas Artes de Tetuão seja o grande (e talvez único) polo da BD em todo o continente africano, para além dos festivais internacionais de Kenitra, Tetuão e Casablanca.
Artistas mais marcantes: Youssef Daoudi, Mohammed Nadrani, Brahim Raïs, Abdelaziz Mouride, Bernard Johner, Hamid Semlali e Afif Khaled.


Mohammed Nadrani, Brahim Raïs e Afif Khaled, três dos mais importantes autores marroquinos.

Alguns têm sido também editados em França, Bélgica, Tunísia e Argélia.
Independentemente de alguma ficção, os temas preferenciais são os históricos e os de cariz político. 


A arte de Mohammed Nadrani, Brahim Raïs e Afif Khaled

Em 1991, os organizadores do Salão BD da Sobreda convidaram o professor e desenhista marroquino Hamid Semlali que, não podendo pelas datas indicadas deslocar-se a Portugal, enviou para expôr várias pranchas suas, algumas focando a Batalha de Alcácer Quibir, vista pelo lado marroquino...

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

EXPOSIÇÃO DE CAPRIOLI EM VISEU - FOTOS

Inaugurou em Viseu, no passado dia 10 de Agosto, a exposição "Franco Caprioli - no centenário do desenhador poeta do mar", uma produção conjunta entre a Câmara Municipal de Moura e o Gicav, com o apoio da Expovis, da Inovinter, da Câmara Municipal de Viseu e do Instituto Português do Desporto e da Juventude.
Na mesma ocasião foi apresentado publicamente a versão e-book do fanzine de Jorge Magalhães sobre Caprioli. 
De salientar que a sessão decorreu no Pavilhão Multiusos da Feira de S. Mateus e contou com a presença da Adida Cultural da Embaixada de Itália em Lisboa, a Drª. Lidia Ramogida, que se deslocou propositadamente a Viseu para testemunhar esta homenagem.
Apresentamos, de seguida, a reportagem fotográfica do acontecimento, agradecendo a cedência de algumas imagens ao Gicav.

O painel de apresentação, à entrada da exposição.

Aspecto geral da exposição.

 Numa das estantes, algumas publicações sobre a vida e a obra de Caprioli bem como os álbuns editados em Portugal.

 Outra das estantes continha cópias de alguns originais de Caprioli enviados propositadamente desde Itália pela filha do artista, Fulvia Caprioli.

 Foto de conjunto com alguns dos protagonistas do projecto Caprioli. A Adida Cultural da Embaixada de Itália em Lisboa, Drª. Lidia Ramogida (de vermelho, na imagem) deslocou-se propositadamente a Viseu, o que muito sensibilizou a organização.



Durante a visita, Luiz Beira explicava aos presentes algumas curiosidades relacionadas com a obra de Caprioli publicada em Portugal.




 Na apresentação pública do e-book, Jorge Magalhães falou sobre cada um dos oito capítulos que compõem este trabalho.



terça-feira, 7 de agosto de 2012

HERÓIS INESQUECÍVEIS (2) - OLIVIER RAMEAU

TARAZIMBUMANTE!
A 15 de Outubro de 1968, no n.º 42 da revista "Tintin" (edição belga) apareceu a primeira prancha de uma nova e invulgar série: "Olivier Rameau". Dois dias depois, inicia-se também na edição francesa. Entre nós, surge na edição portuguesa de "Tintin", a 7 de Fevereiro de 1970. Seus criadores: o argumentista Greg (aliás, Michel Regnier) e o desenhista Dany (aliás, Daniel Henrotin). 
Greg e Dany

E foi um êxito imediato junto dos bedéfilos! Tudo é maravilhoso nesse outro mundo, Rêverose (Sonho Côr-de-Rosa), num ambiente de total felicidade, optimismo, romântico, divertido, onde não se sabe o que é o dinheiro... pelo utópico e o absurdo. O jovem ajudante de notário, Olivier Rameau, e o seu colega veterano, o Sr. Pertinent, por acaso, vão ter a esse território, interdito às pessoas aborrecedoras. E logo, nos personagens fantásticos, a bela reverosiana Colombe Tiredaille. Ela e Olivier, cedo se apaixonam e, mais tarde, virão a casar. Mas outras figuras são também marcantes, como por exemplo: o espantalho Pazubrin, o guarda Labanquise, os três governantes Zirobudou, o leão Magestor, o anão Kolossal, o passarão Razibus, etc, etc.
"A Grande Viagem a Absúrdia" (um dos episódios da série publicados na revista Tintin)

Também divertido é o aparecimento de um certo vocábulo nesta série: "Tarazimbumante!" (Tarazimboummant, no original), que se poderia traduzir em português por "Espantoso!" e em "acordês" por "Bué da fixe, meu!". Chegou, por algum tempo, a ser adoptado nas conversas entre bedéfilos admiradores desta série.

Depois de várias reedições em revistas e até em álbum (não há nenhum em português!!!), finalmente, na versão integral e através de quatro tomos, as Editions Joker (Bélgica) publicaram todas as histórias (longas e curtas) da série "Olivier Rameau", onde algumas narrativas têm argumento do próprio Dany. 
A não perder!

Tarazimbumante!...

sábado, 4 de agosto de 2012

CENTENÁRIO DE CAPRIOLI COMEMORADO EM VISEU COM EXPOSIÇÃO E "E-BOOK"

Após ter estado patente em Moura, entre Junho e Julho, a exposição comemorativa do Centenário de Franco Caprioli viaja até Viseu onde poderá ser visitada de 10 a 26 de Agosto, no Pavilhão Multiusos da Feira de S. Mateus.
A exposição - uma organização conjunta entre a Câmara Municipal de Moura e o Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu (Gicav) com o apoio da Expovis, da Câmara Municipal de Viseu, do Instituto Português do Desporto e Juventude e da Inovinter - terá uma sessão especial, no próximo sábado, dia 11, pelas 17:00 horas, que incluirá uma visita guiada por Luiz Beira.
Será, também, feita a apresentação pública do fanzine "Franco Caprioli: no Centenário do Desenhador Poeta" (depois da versão em papel - editada por Moura - surge agora uma versão em formato e-book - sob edição Gicav -  com muito material inédito!). Um trabalho notável de Jorge Magalhães que, certamente, fará as delícias dos muitos admiradores do grande Mestre italiano. 
A este assunto voltaremos nos próximos dias...