sábado, 6 de maio de 2017

A ILHA DO CORVO QUE VENCEU OS PIRATAS (10)

Caros leitores do BDBD Blogue, como prometi, venho dar notícias sobre o andamento da edição desta história que acompanharam pacientemente ao longo da sua criação.
Neste momento estão a ser resolvidas questões logísticas em relação à tiragem, que se puder ser maior, irá reduzir o custo unitário da obra, o que terá vantagem para o promotor e também para o editor. E isso refletir-se-á no leitor que irá adquirir os exemplares.
Portanto, um pouco mais de paciência, pois é preferível que a edição seja lançada mais tarde, mas com mais vantagem.
Entretanto foi decidido fazer-se uma versão em inglês dos Estados Unidos da América, para que a obra tenha uma maior projeção, principalmente além-fronteiras.
A tradução está feita e eu preferi fazer as legendas com a minha letra, pois assim posso controlar a substituição dos dizeres nos respetivos balões, evitando que a gráfica o fizesse de maneira aleatória, avançando sobre o desenho quando o texto não coubesse no espaço anteriormente destinado.
Embora graciosamente, essa tarefa traz-me a garantia para que a arte final fique o melhor possível.
Há a questão das falas corvinas, cuja explicação surge dentro da própria vinheta, e que o tradutor, pessoa altamente qualificada, conseguiu passar para a língua inglesa.

Continua a promessa da minha parte de ir esclarecendo o que passa com o andamento desta edição.
Nada aparece feito por magia. Tudo que realizamos encontra por vezes escolhos no caminho e que precisam de ser ultrapassados, com paciência, dedicação e vontade de ir em frente.
Quando o leitor folheia numa livraria um livro, não calcula os sobressaltos que essa edição sofreu na sua realização.
Por isso, eu que sempre vivi por dentro de editoras e oficinas gráficas, respeito todos os livros que saem porque sinto o esforço que foi preciso para o colocar nos escaparates, por mais simples que seja.

José Ruy
2 de maio de 2017 

2 comentários:

  1. Caro José Ruy,

    Estarei de visita à ilha do Corvo no final deste mês de Maio, mas calculo que o livro não sairá por essa altura...mas compreendo
    No entanto visitarei a ilha e mais tarde poderei comparar a história com o vivido nesta ilha perdida no meio do atlântico. Será sem dúvida outra maneira de apreciar a história por si desenhada e contada.

    Fico igualmente à espera de uma data de apresentação do livro para que eu ou alguém da minha família se posso deslocar para o adquirir na sua presença.

    Cumprimentos e votos de bom trabalho,

    Mário Lisboa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro Mário Lisboa
      Não temos ainda data prevista para o lançamento do livro, mas quando tivermos, o BDBD Blogue será o primeiro a dar a notícia.
      Se como diz, fôr em maio à Ilha do Corvo, não deixe de visitar o Eco Museu e falar com o seu diretor, Eduardo Guimarães, e peça para lhe mostrar os locais e as pessoas que eu desenhei e que entram na História. O «Gaspar» da história (que deve ter acompanhado nos posts do BDBD), é o médico da Ilha. A jovem que dirige a Biblioteca também entra na banda Desenhada. E muitos outros.
      Dê, por favor, um abraço meu a todos.
      Desejo-lhe uma boa aterragem naquela pista difícil, e que os ventos permitam levantar voo quando o tiver programado.
      Forte abraço e obrigado pela atenção.
      José Ruy

      Eliminar